img_817x460$2016_09_04_20_08_34_293643

Li com atenção ao pedido feito pela Senhora Isabel dos Santos, em que ela, se apresenta bastante incomodada com o editorial datado de 19/11/2017 do Jornal de Angola, dirigido ao Sr. Victor Silva, Director deste órgão público de informação, autor do referido editorial, a publicação da sua resposta, expressando total indignação, no exercício do direito de resposta nos termos da lei. – como os tempos mudam!

Ora, é duro quando a verdade nos atinge!

Verifico estratosfericamente que a Senhora Isabel dos Santos tem que aprender a ficar calada, quieta, parece que tomou besteirol, pois às vezes quando abre a boca, sobretudo depois de exonerada como CEO da nossa “galinha de ovos de ouro”, só fala besteira (parece que está condoída por ter sido exonerada até hoje).

Isabel dos Santos é muito esperta; ela se faz de vítima de uma realidade que ela mesma ajudou a construir; ou seja, que ela mesma sabe e conhece muito bem – é rica, graças às facilidades que o seu pai, “sem” alma e coração, concedeu, por causa do poder absoluto que detinha, à ela e aos seus irmãos ao longo dos últimos vinte anos.

Voltando às asneiras, Isabel dos Santos disse no seu pedido de direito de resposta e sito ”para que o público fique esclarecido, a palavra nepotismo significa a promoção de uma pessoa incompetente para um determinado cargo pelo único facto de ser membro da sua família. Como a minha competência não está em questão, não será apropriado tentar estabelecer um vínculo entre as minhas relações familiares e os resultados do meu mandato.”

Quando Isabel dos Santos fala essas coisas, cai no ridículo. Cai no ridículo porque demonstra que é incompetente; é incompetente porque não sabe nem sequer definir o conceito de nepotismo. Será que precisa de assessoria? Ah, os portugueses, brasileiros e indianos já “bazaram” não é? Que pena, te ajudariam muito, acredita!

Caríssima Isabel, nepotismo significa a nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha recta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública directa e indirecta em qualquer dos Poderes do Estado, isto é, Executivo, Legislativo ou Judiciário tanto na esfera central ou local. O nepotismo compreende ainda o ajuste mediante designações recíprocas (nepotismo cruzado).

Saiba senhora empreendedora, que tudo isso viola a Constituição da República, mormente os princípios que regem a Administração Publica (art. 198º nº 1 e segts. da CRA). O propósito é a moralização da Administração Pública, dentre outros.

Portanto, digo-lhe, que a senhora está equivocada porque no seu pedido de resposta, quanto à esta matéria, fazes crer que a tua nomeação foi apenas por seres pessoa idônea e competente – que mentira deslavada é essa?

A senhora mente, mente porque é contumaz na arte de mentir; mentes tanto que parece que não te dás conta que estás a mentir, porque tudo te parece normal, isso é típico de quem tem a consciência cauterizada.

Quer dizer então que os decretos que o teu pai assinou nos últimos anos da presidência da República concedendo-te de presente a hidroelétrica de Caculo e Cabaça na província do Cuanza Norte por mais de 4,5 mil milhões de USD via duas empresas, uma das quais deténs 50% das ações, não te diz nada?

Quer dizer então que o Plano Luanda 2030 avaliado em 1000 milhões de USD ano até 2030, que a tua empresa Urbinveste ganhou de forma não transparente (nós angolanos não tivemos a oportunidade de acompanhar e fiscalizar o concurso realizado se foi de acordo com a lei), também não te diz nada?

Queres que eu fale da Marginal de Luanda? Queres que eu fale da Efacec Power? Queres? Tudo isso é mesmo por muita competência? Jura? Você acredita mesmo nisso? Achas que o povo angolano e a comunidade internacional acreditam nisso? Ora, senhora Isabel dos Santos, tenha vergonha na cara, pelo amor de Deus!

Se fosses competente não farias o que fizeste com o mercado de cimento, você sabe o que aconteceu! Não “monopolizarias” os mercados das telefonias, telecomunicações, entre outros. Parece-me que essa é a tua forma de ser competente, monopolizar os mercados!

Voltando ao nepotismo. Ora, deixe-me explicar-lhe que ainda que fosses tão competente quanto te julgas ser, ainda assim a tua nomeação para a Sonangol caracterizaria nepotismo. A senhora nunca trabalhou no ramo petrolífero, nunca galgou passos em termos de ascensão em nenhuma empresa do ramo, não achas que a Senhora e o teu pai foram pretensiosos demais?

Por fim quero lhe dizer apenas o seguinte: deixem-nos em paz. Não impeça os angolanos de bem a ajudarem a desatar as correntes que o teu pai colocou em todos nós.

Queremos a nossa liberdade de volta.

Passe ainda nos hospitais do Cuanza Sul, saberás porque digo isso! Passe na cidade do Sumbe, hás de sentir vergonha de chamar aquilo de Capital de Província…é, literalmente uma terra sem governo.

Que Deus tenha misericórdia de você e de toda a tua família. Algum dia hão de comparecer perante o tribunal daquele que tem os olhos como chamas de fogo…!

nEle, que tudo sabe e vê,
Jesus Cristo de Nazaré!

Nelson Custódio